CABEÇA
DE LÍDER

José Luiz Tejon

Eldorado/Estadão - Plano 40 milhões de há será um show agroconsciente tropical brasileiro para o mundo

Publicado em 27/11/2023

Divulgação
Brasil apresentará na Cop-28 o plano de inclusão de 40 milhões de hectares de pastagens degradadas para uma economia agroconsciente

Nesta semana o Brasil irá apresentar para o mundo o plano de inclusão de 40 milhões de hectares de pastagens degradadas para uma economia agroconsciente. Isso significará dobrar em 10 anos a área agricultável sustentável brasileira dentro de modelos agroflorestais, integração lavoura, pecuária e florestas, diversificação de culturas com alimentos e bioenergia. Dentro desses 40 milhões de há, 12 milhões serão para restauração de florestas.

O plano envolverá investimentos empresariais, fundos internacionais, estrutura de pós-porteira com logística e armazenagem e ingresso numa bioeconomia do carbono.

O mundo vive uma insegurança alimentar, energética e ambiental. As mudanças climáticas estão mudando as características das regiões produtoras. O crescimento populacional nos levará a casa de 10 bilhões de habitantes na década de 2050. Uma área hoje em disputa na guerra Rússia-Ucrânia faria do leste europeu, com as terras mais férteis do mundo, uma outra zona de potencial crescimento na segurança alimentar e bioenergética mundial. Porém uma guerra sem fim ali se estabeleceu.

Onde temos as maiores agriculturas já instaladas do mundo, são milenares e centenárias, não há potencial de crescimento, apenas de aperfeiçoamento, como China, Estados Unidos, Índia e Europa.

Este plano brasileiro oferecendo 40 milhões de hectares que serão transformados em inclusão alimentar, energética, ambiental e humana, sem cortar uma árvore sequer, ao contrário plantando árvores, será o destaque da Cop-28. Será também o fato concreto para buscarmos dobrar o agro brasileiro de tamanho com sustentabilidade e agregação de valor, industrialização de insumos, máquinas, sistemas de gestão, digitalização, e irrigação econômica em todas as atividades indiretas desse agroconsciente.

Embrapa, gestores deste plano, todas as lideranças que o estimulam de verdade merecem o prêmio Nobel da Paz. Este plano é o maior plano para segurança alimentar energética e ambiental do século XXI.

Se acompanhado de rigores severos no combate ao crime e ilegalidade ambiental, e tendo adicionalmente abertura para programas agroflorestais na Amazônia, estaremos criando uma nobre e ética imagem brasileira no planeta inteiro.

José Luiz Tejon para a Eldorado/Estadão.

Também pode interessar

Em 25 janeiro a cidade de São Paulo completou 468 anos e a sua ligação com o agronegócio é umbilical. Comandou o plano de valorização do café, no início do século XX. Empresários paulistas afirmaram: “sabemos produzir café, não sabemos comercializar”, e assim também criaram a primeira faculdade de gestão de negócios do país, a Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, FECAP, em 1902.
A Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), representante dos agricultores, lançou um manifesto nesta quarta-feira (26) contra a agropolarização de uns contra os outros, pregando um conceito de união através do alimento. O alimento nos une a todos.
Estou numa rodada pelo Mato Grosso, que é hoje o maior produtor de grãos e proteína animal do país, e como região a maior do mundo. Desci de Alta Floresta ao norte, passando por Sinop e agora falo de Sorriso, a cidade capital da soja e do milho no estado do Mato Grosso. Algumas chuvas já temos por aqui, porém não distribuída por toda área.
Foco é a voz da alma conduzindo o cérebro e a razão. Estamos num cenário de grave crise na insegurança alimentar do planeta terra. Pandemia, mais incertezas climáticas, inflação, e mais guerra na Europa entre o 5º maior produtor de grãos do mundo, a Rússia com o maior produtor de grãos  em terras europeias, a Ucrânia, onde Zelenski seu presidente declarou nesta semana ao presidente do Comitê Europeu Charles Michel: “sem as exportações agrícolas da Ucrânia dezenas de países já estão à beira da escassez de alimentos”.
© 2024 José Luiz Tejon Megido. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por RMSite